2011 e reeditado pela Luna Parque em 2019, e Manual para melodrama, lançado pela 7Letras em 2016. Mesmo se tratando de gêneros diferentes – poesia e prosa –, os dois livros tratam de um tema comum – a separação – e foram escritos no mesmo ano de 2011. Com poemas reescritos e alguns textos inéditos, esta edição apresenta uma nova chave de leitura para as obras, como explica o próprio autor: “ao abrir o volume com o Manual para melodrama, publicado cinco anos depois da edição original de Cigarros na cama, eu reestabeleço sua verdadeira cronologia de composição. Foi esta a ordem na qual foram escritos. A partir desta edição, passo a vê-los como um único livro, que assume sua forma [quiçá] final aqui.” Segundo Ismar Tirelli Neto, “o leitor tem a felicidade de ter em mãos agora dois volumes sem os quais é praticamente impossível pensar a literatura queer exercida no Brasil nas últimas duas ou três décadas. Descabidos na boca e descompensados no gesto, os textos aqui reunidos transformam a fossa numa arte maior na exata medida em que embaraçam e complexificam ideias de ‘maior’, ‘menor’, ‘alto’, ‘baixo’, dor de umbigo, dor de estrelas. São textos nucleares, textos que continuam nos formando a nós, leitores. Uma colocação hiperbólica? De forma alguma. É um fato