Nesta obra Jorge Alves de Lima, cumpre asseverar que não se faz ausente quem está presente em nosso coração, uma vez que o pano de fundo alicerça-se no culto à amizade pelos colegas do Colégio Cristo Rei e na clarividência das memórias de sua infância, adolescência e tempo de internato. Com maestria, Jorge gera um clima intenso e emocionante, envolve os personagens no universo das cidades citadas e do magnífico Cristo Rei, colocando o leitor dentro das narrativas, vivendo-as, mergulhando em imersão total nos fatos e imagens, a despertar sentimentos de afeto, de solidariedade, de saudade, de perdas, de alegrias, de tristezas, possivelmente fazendo gotejar lágrimas furtivas… Jorge Alves de Lima de forma magistral, com essa obra, faz uma releitura do passado que se presentifica, recorda a sua primeira vinda a Campinas e visita ao monumento túmulo de Calos Gomes, homenageia o Colégio Cristo Rei, ressalta o orgulho incomensurável de terem sido alunos internos, relembra os valores éticos e humanísticos adquiridos pelas vozes dos padres e professores, eterniza os amigos que lá passaram juntos uma exponencial parte de suas vidas, sempre unidos sem nada poder afastá-los, pois “não se faz ausente quem está presente em nosso coração.”