Como sabemos, as mulheres são impermeáveis à genialidade – basta pensar nos gênios da história para perceber a ausência delas. Ironia à parte, o que é relevante aqui é reconhecer que “ser grande”, muitas vezes, é colocar outros em posição subalterna. Se uns se tornam grandes é à custa do silenciamento de muitas – isso diz respeito tanto ao gênero quanto aos cargos exercidos dentro do cinema: enquanto a direção costuma ser destacada, pouco se sabe sobre as demais funções, ainda menos quando são mulheres a desempenhar essas atividades. Pois é justamente a atenção dada à participação feminina nessas etapas da realização de um filme que a proposta deste novo livro de Tedesco busca cobrir. Indo do roteiro à exibição, o livro aborda também a produção, a direção de arte, o som, a direção de fotografia, a montagem, a trilha sonora, as políticas públicas, cinema e educação, os festivais, a crítica e a preservação. Qual a participação das mulheres no cenário do cinema brasileiro, seja na realização de filmes, seja na atuação em festivais, na educação ou na preservação? Quais nomes se sobressaem, e em quais filmes trabalharam? Quais particularidades são percebidas em relação ao contexto global? Quais conexões relacionadas a raça, classe e sexualidade são estabelecidas? Quais festivais foram/são dedicados à produção feminina, e por que são necessários? Essas parecem ser algumas trilhas que nortearam os textos das autoras, todas importantes referências em suas áreas de pesquisa ou de prática.