Verde, não te quero verde: a ecologia nas campanhas presidenciais brasileiras

Esta obra é fruto da investigação de doutoramento Tessituras insustentáveis: o meio ambiente no discurso eleitoral brasileiro e apresenta como objetivo incontornável a compreensão do agendamento discursivo na política contemporânea, sobretudo, em uma aproximação com o campo empírico, a análise do Horário Eleitoral Gratuito e do cenário político brasileiro, detalhando as operações narrativas que agendaram temas e figuras e, em especial, como se deu a abordagem das questões ambientais nos pleitos presidenciais brasileiros de 2010 e 2014. A considerar os percursos narrativos dos 656 vídeos do corpus, evidencia-se que as operações discursivas construíram o (des)compromisso ambiental a partir de diferentes palavras de ordem e de pontos nodais que evidenciaram o baixo interesse pelas questões ecológicas e pelo desenvolvimento sustentável. Filipe Cantanhede Aquino é publicitário, doutor em Sociologia pela Universidade do Porto (UPorto) e mestre em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Tem interesse e pesquisa temas que envolvem o meio ambiente a partir da semiótica, da sociologia e da ciência política. É autor de A construção do imperativo verde – Um estudo sobre publicidade e sustentabilidade (2015). Este é o seu segundo livro individual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *