É no quadro teórico-metodológico da micro-história italiana que reside a principal contribuição deste livro aos estudos de jornalismo e se esboça, igualmente, uma linha pontilhada a ser percorrida nos próximos movimentos de pesquisa e na docência. Trata-se, no meu entendimento, da existência de uma relação visceral, que conjuga uma posição ética e empatia sensível entre o pesquisador e o seu objeto de estudo, que não se restringe a esta investigação, tampouco ao espaço discursivo de O olho da rua. Beatriz Marocco, no Prefácio Aqui se encontra a riqueza da micro-história: as vozes singulares e experiências vivenciadas pelas pessoas comuns revelam mais do que vidas anônimas, pois elas permitem acessar realidades, problemas não presentes nas narrativas oficiais e hegemônicas. O livro de Francisco Aquinei nos brinda, portanto, com uma bela análise sobre a proveitosa aproximação entre o método da micro-história e do jornalismo da “literatura da vida real”. Maíra Ines Vendrame, no Posfácio