Biografia não autorizada – Poemas de Zezinho Só

“Este livro é um inventário de cicatrizes da nossa geração. Poderia se chamar ‘Nós que nos amávamos tanto’, como aquele antigo filme italiano. Miguel, seu homem-ônibus, é feito de pedaços de todos nós; há nele coisas que ouvi, algumas que talvez até possa ter dito…”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *