Não dormem os poetas

Poetas bons são os que sofrem Não vive da felicidade o verso Mas da tragédia que os cobre O amor não enche a estrofe A desilusão, sim, recheia as folhas Ócio não faz um bom poema A turbulência que dá textura Emoções a tecitura Sem o caos não há poema Sem tristeza não existe poetas Não há músicas, não há livros A perfeição não escreve literatura A certeza não versa alexandrinos Sem a dor não há trilhos Sem madrugada não há condutor Sem insônia não há ideias Não dormem os poetas Sobre a autora Mariana Melo Botelho é poeta recifense e estudante de Direito da Universidade de Brasília (UnB). Cresceu ouvindo a sua avó, Lindaci, recitar lindas poesias e, em 2017, começou a pegar o gosto pela escrita poética. Acredita que a poesia é uma forma de brincar com as palavras, de denunciar a realidade social e transformar o modo como vemos o mundo ao nosso redor. Defensora do poder transformador da leitura e da escrita, desenvolve projeto social na Associação Despertar Sabedoria para formar o acervo da biblioteca comunitária no Sol Nascente. Em 2020, começou o perfil @eulirica1 no Instagram, onde publica suas poesias, recita e indica obras da literatura nacional e internacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *