Dano cerebral, uma ode a lobotomia social

m meados da áurea década de 1970, nos caliginosos subúrbios do Condado de Gloucestershire, Inglaterra, uma tenebrosa e cabalística família, foi deixando misteriosos rastros, urdindo de ominoso feitio, um caso que mais tarde fora tido como um dos mais brutalmente perturbadores e enigmáticos da história do país. Alguns dos mais pungentes trechos deste caso, foram descritos por ela mesma, a médica Dra. Emma Brook, cuja conturbada vida em virtude de uma distúrbio psiquiátrico impetuoso fora absolutamente destruída. Tal doença consolidada a uma extrema crueza execrável, imposta tiranicamente pela absurda ignorância e prepotência da sociedade, e principalmente, pelos próprios inclementes familiares, acabou por resultar num macabro final catastrófico.

One thought on “Dano cerebral, uma ode a lobotomia social”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *