Teorias do Jornalismo Volume II e-book

Ao longo dos últimos cinquenta anos, as diversas teorias da notícia que foram avançadas (ver Traquina, 2001) ilustram bem a complexidade e oferecem diversas explicações que, apesar de cada teoria ter os seus destaques, apontam para uma série de fatores como o tempo, os constrangimentos organizacionais, as rotinas instituídas, e o crescente peso do fator econômico, ou, para ser mais preciso, o “polo” econômico do campo jornalístico, para mencionar as principais forças que ajudam a construir o produto jornalístico. Mas, com base numa análise crítica da vasta literatura de estudos sobre o jornalismo, é indubitavelmente claro que não é possível compreender as notícias sem uma compreensão da cultura dos profissionais que dedicam as suas horas e, às vezes, as suas vidas, a esta atividade. Este trabalho persegue duas linhas de atuação: a consolidação teórica e a exploração teórica, mas esta última será a privilegiada. Através da consolidação da teoria, é nossa intenção testar as conclusões principais da já vasta literatura de “newsmaking” que se acumulou durante os últimos cinquenta anos. Por exemplo, serão examinadas algumas questões básicas. Primeiro, serão as notícias “orientadas para o acontecimento”, ao invés de “orientadas para o tema”, como sugerem fortemente inúmeros estudos do jornalismo? Em segundo lugar, será a proximidade, seja ela geográfica ou cultural, um fator determinante nas seleções do que é ou não notícia? Em terceiro lugar, serão as notícias orientadas principalmente para as “fontes oficiais”, com pouco espaço para as vozes alternativas na sociedade?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *