As crônicas de Verão

As palavras que seguem nesse pequeno livro em questão não são meras “fotografias” da realidade trazidas à literatura; nem são, por outro lado, meras aspirações intelectuais para me tornar um escritor de sucesso ou algo assim. Elas são, na medida do possível, breves relatos, humorísticos ou reflexivos, da própria vida social. Como em um poema de Ferreira Gullar (Dois e dois: quatro), em que escreve: “Como dois e dois são quatro / sei que a vida vale a pena / embora o pão seja caro / e a liberdade pequena”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *