Jonin

A tarde cai, estamos em algum lugar na serra do mar; na velha cabana de madeira e papel ao estilo da construção japonesa. Fora, uma chuva suave e tranquila cai despreocupadamente. No interior da casa em um pequeno compartimento que leva ao maravilhoso jardim com árvores e arbustos cuidadosamente podados, um pequeno leito de rio imaginário se desloca tocando suaves melodias,de acordo com a pressão da água que corre por entre as pedras, que foram minunciosamente arrumadas durante anos até ter atingido o equilíbrio perfeito. Somente quando a chuva caia é que se podia ouvir a perfeição e harmonia que tomava conta do local.A fina cortina de gotas criava um clima que levava o velho senhor para um local distante e muito tempo antes… Chegamos em algum local nas antigas montanhas que um dia recebeu o nome de Koga no remoto Japão. Neste instante, após receber ordens e informações precisas sobre a missão, uma sombra inicia seu movimento por caminhos que só ele parece conhecer; em sua mente, só existe um pensamento, a missão deve ser cumprida, não importa o sacrifício ou as dificuldades. Depois de correr por toda a noite, chega enfim ao seu destino, uma província perto de Kioto, local este onde devia eliminar um senhor que há muito vem trazendo complicações para o Jonin, lá estando, procura confirmar as informações recebidas e as formas de levar a cabo sua tarefa. Se disfarçando de Ronin, mistura-se entre os samurais e confirma aquilo que complicaria seu trabalho pois, sua vítima não cultivava hábitos que de alguma forma pudesse facilitar as coisas. Portanto, o passo seguinte seria buscar se possível uma falha na segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *